terça-feira, fevereiro 19, 2008

Alvinitente

Romeu Silva
Alvinitente (marcha-rancho, 1922) - Romeu Silva e D. Paulo

Alvinitente sempre a brilhar
De formosura alegre a primor
Esta florzinha meiga sem par
Com primazia vos vem saudar

A sua alvura é de encantar
Cândida e pura como luar
Vem arrogante ó meiga flor
Vem mostrando os predicados do amor

Assensar perfumar
Num gozo sem par
Desprendendo odor
Sempre o Lírio sorridente
Alegre contente
Muito altivo do amor