sexta-feira, janeiro 14, 2011

Ithamara Koorax


Ithamara Koorax (Ita Mara Jarlicht), cantora, nasceu em Niterói, RJ, em 28/4/1965. Filha de cantora lírica, sua primeira gravação foi lançada em setembro de 1990: Iluminada, tema da minissérie da TV Globo Riacho doce, recebendo prêmio da APCA. Ainda em 1990, tornou-se a primeira cantora a gravar músicas da dupla Guinga e Aldir Blanc.


Cantora do show do Prêmio Shell de 1992, dividiu espetáculos com Edu Lobo (1992) e Marcos Valle (1994). Foi vencedora do Prêmio Sharp de 1994, na categoria revelação de MPB, pelo CD Ao vivo.

Conquistou prestígio internacional, tendo realizado excursões pelo Japão em 1991, 1992, 1995 e 1996, onde gravou os discos Red River (1995), com É preciso dizer adeus (Tom Jobim e Vinícius de Moraes), que se tornou a última gravação de Jobim; Almostin Love (1996) e Wave 2001 (1997).

Também gravou faixas nos songbooks de Dorival Caymmi, Vinícius de Moraes e Tom Jobim.

Em 1997 fez tournée pelo Brasil com o grupo Azymuth e tornou-se a primeira artista brasileira a lançar um CD exclusivamente pela lnternet (Almost in Love). Em seguida, participou do CD/vídeo Casa da bossa (PolyGram), ao lado de César Camargo Mariano e do grupo vocal Os Cariocas, com o qual dividiu, também nesse ano, o palco do Metropolitan (RJ). Participou, ainda, das trilhas sonoras de Policarpo Quaresma (Carlos Lyra) e Terra encantada (Francis Hime).

Em 1998, realizou uma temporada no Jazz Café de Londres, ao lado do baterista Dom Um Romão, alcançando sucesso nesse país com um arranjo acid para Mas que nada (Jorge Ben Jor ). Em seguida, viajou para Nova York (EUA), a fim de realizar a mixagem de seu CD Bossa nova meets drum 'n' bass, primeiro disco de um artista brasileiro nessa moderna vertente da dance music.

Ainda em 1998, atuou no disco Rhythm traveller, de Dom Um Romão. Apresentou-se no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, no concerto de lançamento do CD da Orquestra Petrobras Pró-Música, sob a regência do maestro Armando dos Prazeres.

Em 1999, excursionou pelo Brasil ao lado de Dom Um Romão e participou do disco beneficente Street angels, produzido por Arnaldo DeSouteiro. Também nesse ano, participou de uma série cultural de espetáculos que apresentavam a história da MPB. Ainda nesse ano, lançou seu sexto CD, Serenade in blues, gravado entre o Rio de Janeiro e Nova York. Participou de trilhas sonoras de novelas da Rede Globo (Pedra sobre pedra, Fera ferida, Renascer, Araponga e Cara & coroa) e dos songbooks de Dorival Caymmi, Vinicius de Moraes, Antonio Carlos Jobim e Marcos Valle, produzidos por Almir Chediak.

Em 2000, foi indicada para o Prêmio Grammy, na categoria Melhor Cantora de Jazz, pelo CD Serenade in blue. O disco recebeu, ainda, mais três outras indicações para o prêmio Melhor Álbum Vocal de Jazz, Melhor Produção (Arnaldo DeSouteiro) e Melhor Arranjo (Eumir Deodato, pela faixa Aranjuez).

Ainda nesse ano, foi citada como uma das Melhores Cantoras de Jazz do mundo, na votação da revista Down Beat, proeza antes alcançada somente por uma outra cantora brasileira, Flora Purim, entre 1974 e 1979.

Em 2001, voltou a se apresentar no Jazz Cafe, em Londres, realizou três temporadas no Mistura Fina (RJ) e apresentou-se em turnê de shows pelo interior de São Paulo, promovida pelo SESC. Também nesse ano, fez sua oitava gravação para novelas da Rede Globo: a música Cristal, tema da personagem de Sandy na novela Estrela Guia.  Também nesse ano, foi apontada entre as Melhores Cantoras de Jazz do ano por várias revistas européias, japonesas e coreanas, como CD Review, Jazz CD e Swing Journal.

Em 2002, lançou na Coréia e na China, o CD Black Orpheus Revisited. Realizou temporadas do show Standards no Mistura Fina (RJ), contando com a participaçao especial do pianista Mario Castro-Neves. Apresentou o mesmo espetáculo na Praia de Copacabana (RJ), na mostra de música organizada pela Coca-Cola, paralelamente ao Festival de Cinema BR.  Na edição de dezembro deste ano da revista Down Beat, na 67ª votação anual dos Melhores do Ano, foi apontada a quarta Melhor Cantora de Jazz do mundo.

Em 2003, seu disco Love dance: The ballad album (Jazz Station Records/Milestone) foi lançado no Brasil pela Som Livre. Constam do repertório as canções Lígia (Tom Jobim), April in Paris (Vernon Duke e Yip Harburg), Olha, Maria (Chico Buarque, Tom Jobim e Vinicius de Moraes), O amor é chama (Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle), Man Alone (Luís Bonfá) e La puerta (Luís Demétrio).

Em 2004, apresentou-se nos seguintes espaços: Mistura Fina (RJ); Partitura (RJ), tendo como convidado o instrumentista Mário Castro Neves; Praça Santos Dumont, em Búzios, e Teatro Popular do Sesi, em São Paulo, ao lado do guitarrista Victor Biglione; Museu do Açude (RJ), pelo projeto Brunch Cultural; e Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, ao lado do pianista Jovino Santos Neto, pelo projeto Unimúsica, série Piano e Voz. Nesse mesmo ano, foi finalista do Prêmio Tim de Música, na categoria Melhor Disco de Música Estrangeira, com o CD Love Dance.

Em 2004, finalizou o CD Autumn in New York - The art of romance. Nesse mesmo ano, apresentou-se no Cais do Oriente (RJ), com o repertório do disco.  No ano seguinte, abriu a temporada de shows da casa noturna Mistura Fina (RJ), seguindo em turnê pelo Nordeste e Norte do país.

Em 2010, lançou, ao lado do violonista e guitarrista Juarez Moreira, o CD Bim Bom - The Complete João Gilberto Songbook, produzido por Arnaldo DeSouteiro.

Fontes: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e Publifolha; Dicionário Cravo Albin da MPB.