quarta-feira, fevereiro 20, 2008

Braço de cera

Frederico Rocha
Antes de 1926, na Penha se faziam músicas com influências portuguesas. Em outubro deste ano de 26, o primeiro compositor a criar um samba da Penha, foi o baterista Nestor Brandão que possuía um conjunto formado por banjos, saxofones, piston e clarinete. O samba se chamou Braço de cera, com o subtítulo de "A Santa Padroeira".

Frederico Rocha foi quem gravou pela Odeon, na época em que se fazia ainda gravação mecânica, com numeração 123224. Como êxito de Braço de Cera, Francisco Alves gravou também este samba para o carnaval de 1927, em discos menores chamados "Odeonette" e até hoje esta música é cantada (Fonte: Lembranças da Penha - Almirante - Jornal O Dia, de 08/10/1978).

Disco 76 rpm / Título da música: Braço de cera / Autoria: Brandão, Nestor (Compositor) / Rocha, Frederico (Intérprete) / Orquestra (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Odeon, Dezembro/1925-Julho/1927 / Nº Álbum 123224 / Gênero musical: Samba carnavalesco /

Braço de cera (samba/carnaval, 1927) - Nestor Brandão

Mulher, vem o carnaval
Festa de alegria que a ninguém faz mal
Mulher, tratemos de gozar
A morte é traiçoeira e pode nos carregar


Não me fio nas mulheres
Nem quando elas estão dormindo
Os olhos estão fechados
Sobrancelhas estão bulindo

Amanhã eu vou-me embora
Pra cidade de Lisboa
Quero que Iaiá me alugue
Seu camarote de proa

Mulher, a Penha está aí
Eu lá não posso ir
Um favor vou lhe pedir
Me leva um braço de cera
À Santa Padroeira
Foi o que lhe prometi

Menina diz a teu pai
Que eu sou teu namorado
E avise teu irmão
Que me chame de cunhado

Menina, minha menina
Cabeça de melancia
Um beijo de tua boca
Me sustenta quinze dias

Queria ser o balaio
Da colheita do café
Para andar dependurado
Nas cadeiras da mulher

Queria ser o balaio
Balaio queria ser
Para andar dependurado
Nas cadeiras de você

Nenhum comentário:

Postar um comentário