quinta-feira, janeiro 20, 2011

Ouriço na Vila

Língua de Trapo

Ouriço na Vila (1982) - carlos Melo e Guga Domênico

Tom: A
Intro. A  E  A  
   
      A                                 Ebm7/5-  
Eu fui à Vila Madalena apanhar minha pequena  
   G#7        C#m7              (C#m7  Cm7)   Bm7   
Prum programa legal, pegar uma tela e o escambau  
 E7           A                         Ebm7/5-   
E na Fradique Coutinho entrei lá no Sujinho  
          G#7  C#m7       (C#m7  Cm7) Bm7  
Pra me ambientar, a inteligenzia toda lá  
  A7             D                    D#dim  
E quando fui entrando, fui logo morando  
   F#dim       A                   G#7    G7     F#7  
Um papo diferente, na mesa de um livre docente  
      Bm7             E7                A  
Ele defendia uma tese esdrúxula, paradoxal:  

- Levando-se em conta o alcoolismo crônico de Scoth Fitzgerald  
E a homossexualidade imanente de Proust  
Temos, pois, que E é igual a MC ao quadrado, morô?  

(E7)             A                      Ebm7/5-  G#7    C#m7  
Me encostei no balcão e feito um espião observei o alarde  
         (C#m7    Cm7)    Bm7    
Só dava Freud e Thomas Hardy  
  7          A                    Ebm7/5-  
Eu fui me irritando, e o papo piorando  
    G#7 C#m7       (C#m7   Cm7)   Bm7     
Pura citação, de Baudelaire até Platão  
A7           D                D#dim  
E tome Kurosawa, e tom James Joyce  
   F#dim     A              G#7    G7       F#7  
E tome Hemingway, é tanto nome que nem sei  
       Bm7                   E7                    A  
Saí meio grogue, chamando Van Gogh de Galileu Galilei  
                      A  
Jorge Goulart de Nora Nei  

        G#m7/4              C#7           F#m  
Eu sou um erudito de alto gabarito intelectual  
      F#m7+           F#m7  
Leio Camões no original  
    B7                      E7                 A  
Sou pós graduado, formei-me advogado pelo telefone  
                     A  
Via Embratel pela Sourbone  
         G#m7/4                C#7             
Assino o Estadão, sou da oposição  
             F#m              F#m7+     F#m7  
Abaixo o sistema, já critiquei até cinema  
      B7                             E7   
Eu vou em gafieira, me amarro no Gabeira  
            A  
E tô desempregado  
                          E7  
Um dia eu chego a Jorge Amado  

     A                              Ebm7/5-  
Voltei àquela bodega com uma raiva cega  
    G#7   C#m7            (C#m7  Cm7)   Bm7     
E cuspindo prego  me afetaram o super-ego  
   E7           A                         Ebm7/5-   
E fui logo citando, no estilo Marlon Brando   
       G#7      C#m7    
Uma frase em latim:  
           (C#m7   Cm7)   Bm7      
- Homus obispus James Dean  
    A7             D                    D#dim  (F#dim)   A    
Os caras se borraram e já me contrataram para lecionar  
             G#7   G7  F#7  
Como professor titular  
       Bm7                    E7  
Na universidade da nossa cidade  
          A  
O idioma latino  

- Data vênia, Hare Krishna, como anda bem o nosso ensino!  
(A  A13  A  A7)