quinta-feira, janeiro 20, 2011

Tragédia afrodisíaca

Língua de Trapo

Tom: C
Intro.   G#7  G7/11  Cm  Cm/Bb
          G#7  G7/11  Cm   G7 

  C               G/B          C 
Fui dar uns esbordeios no Bixiga  
                           Bb7 
       ver se alguma rapariga 
    A7                  Dm            A7              Dm    A7 
Se dispunha a um tête-à-tête  (meu sonho era uma chacrete) 
    Dm          Dm7+            Dm7                      G7 
Mas antes do amor ser consumado quis ter o estômago forrado 
                  Gm7  C7/9 
Pra evitar humilhação 
   Fm              Bb7     C        A7            D7/9 
Corri pruma cantina italiana  pedi filé a parmegiana 
     G7               C                  (G7/11) 
Com catuaba, arroz e pão  (para surpresa do garção) 
   C          G/B              C                          Bb7 
De quebra um prato de sopa bem morna  vinte ovinhos de codorna 
      A7           Dm             A7             Dm   A7  
Tudo ao molho vinagrete  (para encarar o tête-à-tête) 
   Dm           Dm7+       Dm7                        G7  
Comi mais do que um monge tibetano a sobremesa foi tutano 
                       Gm7  C7/9 
Pra aumentar minha energia 
    Fm             Bb7           C         A7               D7/9 
Quando eu inda queixava-me da conta lá no hall de entrada aponta 
  G7             C                   (G7/11) 
Um monumento de guria  (cinco de frente, três de esguia) 

 C               E7            Am7                   Bb7  
Sem perda de um segundo abordei-a  convidando-a pra ceia 
    A7              Dm    A7 
E de pronto ela aceitou 
      Dm         Dm7+       Dm7                  G7 
Com tanta energia armazenada  já passei-lhe uma cantada: 
                   Gm7   C7/9 
Vamos lá pro meu chatô 
   Fm         Bb7             C         A7           D7/9 
Eu moro num apê em Santo Amaro o aluguel de lá é caro 
      G7          C                 (G7/11)  
Mas não tem elevador  (a escadaria é um suador) 

   C        G/B                C                     Bb7  
Então ela encarou-me e disse: Filho, não existe empecilho 
    A7              Dm             A7     Dm   A7 
Que detenha-nos de amar (mandei um táxi parar) 
   Dm            Dm7+   Dm7                        G7  
No interior de um táxi  mirim eu resolvi, então, enfim, 
                    Gm7  C7/9 
Partir de cara pra ação 
    Fm         Bb7         C             A7        D7/9 
Depois de mordiscar a sua nuca vi que ela usava peruca 
      G7             C                     A7/11 
E que seu nome era João (nas horas vagas, Conceição…) 
     Dm7/9     G7/13          C7+      A7/11 
Conceição, eu me lembro muito bem, 
   Dm7/9        G7/13          C 
Conceição, eu me lem bro muito bem…